22/11/2014

Transtornos alimentares: Anorexia

Olá, o assunto é delicado, mas muito importante conhecer os tipos de transtornos, podendo ajudar algum amigo ou parente que pode apresentar essas características.
Essa série, com três matérias, fala dos transtornos alimentares mais comuns e tem como autora a Psicóloga Comportamental Leticia de Oliveira, que gentilmente, compartilhou seus conhecimentos e experiências conosco.

O que é: Anorexia nervosa é um distúrbio alimentar resultado da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves. A pessoa se olha no espelho e, embora extremamente magra, se vê obesa. Com medo de engordar, exagera na atividade física, jejua, jejua, vomita, toma laxantes e diuréticos.
É um transtorno que se manifesta principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também em homens. Às vezes, os pacientes anoréticos chegam rapidamente à caquexia, um grau extremo da desnutrição e o índice de mortalidade chega a atingir 15% a 20% dos casos.

Sintomas:
• Perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa. Nos
casos mais graves, o índice de massa corpórea chega a ser inferior a 17;
• Recusa em participar das refeições familiares. Os anoréticos alegam que já comeram e
que não estão mais com fome;
• Preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos. Esses pacientes chegam a
ingerir apenas 200kcal por dia;
• Interrupção do ciclo menstrual (amenorréia) e regressão das características femininas;
• Atividade física intensa e exagerada;
• Depressão, síndrome do pânico,comportamentos obsessivo-compulsivos;
• Visão distorcida do próprio corpo. Apesar de extremamente magras, essas pessoas
julgam-se com excesso de peso;
• Pele extremamente seca e coberta por lanugo (pelos parecidos com a barba de milho).

Causas:
Não existe uma causa única para explicar o desenvolvimento da anorexia nervosa. Essa síndrome é considerada multideterminada por uma mescla de fatores biológicos, psicológicos, familiares e culturais. Alguns estudos chamam atenção que a extrema valorização da magreza e o preconceito com a gordura nas sociedades ocidentais estaria fortemente associada à ocorrência desses quadros.

Tratamento:
O tratamento deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatra, psicólogo, pediatra, clínico e nutricionista, em função da complexa interação de problemas emocionais e fisiológicos nos transtornos alimentares. Quando for diagnosticada a anorexia nervosa, o médico deve avaliar se o paciente está em risco iminente de vida, requerendo, portanto, hospitalização. O objetivo primordial do tratamento é a recuperação do peso corporal através de uma reeducação alimentar com apoio psicológico. Em geral, é necessário alguma forma de psicoterapia para ajudar o paciente a lidar com sua doença e com as questões emocionais subjacentes. Psicoterapia individual, terapia ou orientação familiar, terapia cognitivo- comportamental (uma psicoterapia que ensina os pacientes a modificarem pensamentos e comportamentos anormais) são, em geral, muito produtivas. Para o quadro de anorexia nervosa não há medicação específica indicada. O uso de antidepressivos pode ser eficaz se houver persistência de sintomas de depressão após a recuperação do peso corporal. O tratamento da anorexia nervosa costuma ser demorado e difícil. O paciente deve permanecer em acompanhamento após melhora dos sintomas para prevenir recaídas.

Muito bom aprender um pouquinho sobre esse transtorno tão preocupante. Obrigada Dra Leticia!

0 comentários:

Postar um comentário