14/11/2014

Raio-X: Walter Lessa



Hoje tem um Raio-X muito motivante. 
Um colega de profissão e atleta profissional abre um pouquinho de sua vida e compartilha sua história com a gente!
Confiram...


Nome: Walter Pereira Lessa
Idade: 29 anos
Cidade de origem:São Lourenço MG
Cidade que reside: São José dos Campos

Ao lado de César Cielo em uma competição. 


Há quanto tempo nada profissionalmente?

"Há 15 anos (profissionalmente) mas já nado há 25 anos."



Campanha para Fabiola Molina. 


Sempre quiz ser atleta ou isso aconteceu naturalmente?

"Sempre quis ser atleta. Quando era mais novo ainda não tinha meu esporte muito bem definido. Sempre gostei muito de futebol. Cheguei a praticar 4 esportes com dedicação de uma vez (handball, natação, futebol e karatê). Mas foi na natação que me encontrei por ter também uma herança familiar neste esporte, pois meu pai foi nadador durante vários anos."


Qual sua especialidade na natação?

"50m livre e 100m livre, mas também nado 50m borboleta e sempre participo dos revezamentos."


Como é sua rotina de treinos?

"Vixi (rs), intensa! São 6 horas diárias de treino, de segunda a sábado e algumas vezes aos domingos também. Meu dia começa às 6 da manhã, na parte da manhã faço um treino na água e posteriormente preparação física, na parte da tarde mais um treino na água."




Como é sua dieta? Qual a parte mais difícil dela?

"Sou extremamente cuidadoso com a parte de alimentação e suplementação. Quando seu objetivo é superar milissegundos, você passa a focar nos detalhes para chegar a alta performance, e uma ótima dieta faz toda diferença. Sigo a risca o que meu nutricionista orienta. Faço de 5 a 7 refeições diárias de 3 em 3hrs, incluindo frutas, legumes, saladas - são indispensáveis! Zero lactose, zero sal, zero açúcar e zero óleo! Mudamos a dieta de acordo com fase de treino. Para treinos mais pesados aumentamos o carboidrato para estocar mais energia, e em alguns momentos fazemos o mesmo com a proteína para recuperação muscular.
Já tenho isso como parte da minha vida, então não tenho dificuldades com dietas saudáveis.
Parte mais difícil? Quando você resolve se dar um alivio e come um sanduichinho e passa mal o dia todo rs. "

Que tipo de auxílios você tem para melhorar seu desempenho?

"Tenho uma equipe multidisciplinar junto comigo. Sem dúvida eu não chegaria à nenhum lugar sem eles. Conto com pscicologo esportivo, médico esportivo, quiroprata, fisioterapeuta, nutricionista e massagista. Costumo dizer que são meus anjos. Nas horas difíceis eles estão lá rs. A necessidade de cada um é de extrema importância quando falamos de esporte de alto rendimento."




Além de nadador você também é professor. Como você divide seu tempo entre estar na na borda da piscina e dentro dela?

"Tenho o privilegio de estar em um lugar fantástico como a Companhia Athletica. Além do apoio como atleta, tenho total flexibilidade em caso de viagens para treinar ou competir. Meus horários são bem tranquilos - segunda e sexta das (6hrs as 9hrs). A partir daí vou para minha rotina de treinos. Uso esse trabalho como forma de vivenciar outras coisas e não ficar pensando 24hrs em natação."

O que te motivou a seguir essa carreira?

"Na verdade tive algumas dúvidas antes de fazer eduação física. Cheguei a fazer fisioterapia por algum tempo por gostar dessa parte de reabilitação, mas por ser muito ativo e apaixonado por esporte de alta performance achei que Educação Física encaixaria melhor no meu perfil. Tenho uma paixão por nutrição também, acho que os três cursos estão muito ligados, tenho vontade de ter mais esses dois cursos no currículo, quem sabe!?!"

Como você vê o incentivo para atletas no Brasil? O que você mudaria?

"Hoje temos um incentivo razoável pelo fato de sermos o país sede das olimpíadas. A elite do esporte está tranquila, mas a grande maioria não. O problema é que nem tudo se resolve dando dinheiro, somos atletas, precisamos de piscinas, ginásios, pista de atletismo e etc... não adianta ter uma situação financeira boa, mas não ter um lugar excelente para treinar. Falta investimento. Eu mudaria muita coisa (risos), começando pelo básico. Formação de atletas não pode só partir de clubes. O governo deve entrar nesse meio, seja partindo por uma melhor estrutura escolar ou projetos esportivos. O que se vê hoje é: temos uma olimpida em casa vamos fazer de tudo para dar certo, mas e as olimpiadas de 2020, 2024 e etc? Será que teremos algum respaldo ou todo investimento vai morrer em 2016?"


Já pensou em desistir alguma vez? O que te faz continuar?

"Tive algumas cirugias no caminho, joelho e ombro, quando você se ve numa situação de ter que começar tudo do zero por 2 vezes, sem dúvida passa pela cabeça desistir. Foi quando resolvi fazer faculdade de fisioterapia, mas a vontade de voltar nunca deixou de estar dentro de mim. Me lembro que fiquei quase todo esse período (1ano) sem querer ver as competições pela TV. Quando fiquei 100% recuperado ainda estava indeciso se voltaria. Coincidência ou não, em um dia em que eu estava pensando muito no assunto, abri minha caixa de e-mail e havia um novo e-mail de um ex-técnico, Marcelo Vaccari, que teria sido meu último técnico antes da minha cirurgia. E no e-mail havia uma mensagem curta, porém marcante, com uma foto. Me lembro como se fosse ontem. A foto era o podium de quando eu havia sido tetra campeão brasileiro e a mensagem dizia: 'Waltinho, não desperdice a chance que você mesmo criou. Você é capaz! Estou esperando seu retorno.' Depois do e-mail não pensei duas vezes, larguei a fisioterapia e voltei aos treinos com tudo."


Tem algum sonho que ainda não foi realizado nas piscinas? E fora delas?

"Fazer o índice olímpico é um sonho, mas se Deus quiser em 2016 vai deixar de ser sonho e se tornar realidade (risos).
Me sinto realizado fora das piscinas, tenho uma linda família que me apoia. Viajei para vários lugares dentro e fora do país, enfim, acho que os sonhos são constantes, se você parar de sonhar não alimentar a vontade de viver."


O que você diria para incentivar os novos atletas?

"Diria que o esporte é sonho, dedicação e perseverança.

1-    Sonho é o que alimenta o seu dia-dia, é preciso sonhar para saber aonde quer chegar

2-    Dedicação é a execução do dia-dia. Ter uma vida regrada, treinar, descansar, se alimentar e etc...

3-    Perseverança para transpor as barreiras da dificuldade. Não existe resultado fácil e quando estamos num dia ruim e preciso perseverar até o último momento."


O que gosta de fazer nas horas vagas, tem algum hobby?

"Minha esposa e meu filho moram em São Lourenço, MG. Estou a cada dois finais de semanas. E o momento em que eu tento me desligar de tudo e curtir muito com eles, que são fundamentais na minha vida. Eu tinha alguns hobbies: jogar bola, andar de moto, tudo que um atleta não pode (risos), por conta da natação parei com tudo, hoje busco a leitura como hobby."

Se não fosse nadador, você seria...

"Jogador de futebol."

Em poucas palavras...

Um lugar: "Fazenda."

Uma música: "Kings of Leon, Use Somebody"

Como se vê no futuro: "Com a mesma essência de hoje, buscar sempre ser melhor que ontem."




Encontre-o nas redes sociais!
www.facebook.com/wlessa 
IG: @walterlessa

 Bom final de semana!
Beijos!

Um comentário:

  1. Nadei com esse bom moço quando ainda era um menino... ele tinha 16 anos e eu já em fim de carreira com 18 anos... Mesmo sonhos, mesmos tormentos... mas, nele havia algo muito maior do que em mim... ele sonhava mais, amava mais e tinha uma paz de espírito incrível diante dos percalços da vida! O segredo dele não é só amar... é amar demais! Sinto uma esperança danada no mundo quando vejo caras como ele mantendo a mesma fé e bondade dos anos de moleque... mesmo depois de ter transformado-se em pai, esposo e adulto! Há uma estatística mais pesada do que qualquer vestibular... Para cada Olimpíadas oito milhões de nadadores tentam chegar até ela, mas apenas 01 vai e não necessariamente este que foi, será o medalhista olímpico... Não há uma disputa de emprego, ou para traineer, ou ainda para um vestibular que supere esta marca de 8 milhões para 01... e o Lessa está muito perto! Não é um tipo norte-americano feito Michael Phelps, que nasceu predestinado para nadar e aos 15 anos já foi para Sidney em 2000... O Walter é mais fundamental do que ele.. porque é um ser humano, não predestinado, mas que escreveu com muita luta o seu próprio destino! E vencerá... sempre, irmão. (ass.: um sul mineiro que sempre torcerá por você... que representa todos nós ex-nadadores e novos e atuais nadadores desse país matuto).

    ResponderExcluir